fbpx

Bolsonaro declara professora que salvou crianças em creche como Heroína Nacional.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Heley de Abreu Silva Batista morreu em outubro de 2017 ao salvar vários alunos de sua creche que foi incendiada por um ex funcionário.

Em reunião com ministros, o presidente Bolsonaro assinou uma declaração oficial, que condecora a professora Heley como heroína nacional.

 

Emocionado, Bolsonaro elogiou a conduta da professora, que deu sua própria vida para salvar as crianças de sua creche.

“Hoje, como Presidente da República, declaro, através deste documento, o título de Heroína Nacional à professora Heley de Abreu, uma verdadeira mulher empoderada que sacrificou sua vida para salvar aquelas crianças. Que Deus lhe guarde embaixo de suas asas.” Disse o presidente.

Heley de Abreu Silva Batista morreu em um ato de coragem para salvar crianças na Tragédia de Janaúba.A professora salvou pelo menos 25 crianças No dia 5 de outubro de 2017, na creche Gente Inocente em Janaúba, Minas Gerais, o vigilante Damião Soares dos Santos ateou fogo em si mesmo, e em várias crianças numa sala de aula. A pedagoga protegeu as crianças com auxílio de outras duas funcionárias, Jéssica Morgana, e Geni Oliveira (que também morreram), abraçando-se ao criminoso para impedir que continuasse o ataque, e ajudando a retirar as crianças feridas. Heley teve 90% de seu corpo queimado e morreu no hospital, assim como as outras duas funcionárias.

Na tragédia, dez crianças morreram, além das três funcionárias da escola, e também o autor do ataque, totalizando quatorze mortos.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.