BRT começa testar barreiras anti-calotes

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Segundo o consórcio BRT Transoeste, os calotes representam um grande prejuízo para a operação. Desde que o BRT foi inaugurado, já foi tentado que a Guarda Municipal fiscalizasse as estações, avisos sobre as multas são constantemente dados dentro dos ônibus, porém os resultados não têm sido muito efetivos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A demolição dos beirais na estação do Mato Alto causou polêmica e agora a estação irá reabrir, a princípio na madrugada desta quarta-feira, 22 de maio, com as barreiras – espécie de guarda-corpos – implantadas para evitarem calotes.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A iniciativa será um teste e caso funcione a intervenção do BRT prevê a implantação da medida em outras estações.

De acordo com a Guarda Municipal, em 2019, até 16 de maio, foram aplicadas 1.714 multas a pessoas que não pagaram a passagem. O BRT extima que, por dia, 74 mil pessoas usam o transporte sem pagar, que causam um prejuízo de R$ 5 milhões por mês — o equivalente ao preço de cinco ônibus articulados novos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...

Send this to a friend