Eu não estou preso, eu sou refém, diz Lula da prisão em Curitiba

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se manifestou nesta quinta-feira 20 por meio de sua conta no Twitter para dizer o que pensa sobre sua prisão, que teve início em abril deste ano. “Eu não estou preso, eu sou refém. Quem não entendeu isso ainda não entendeu o que está acontecendo comigo”, reproduziu a conta do ex-presidente. A reportagem apurou que a frase foi mesmo dita por Lula, de dentro da sede da Polícia Federal em Curitiba, e reproduzida por seus assessores na rede social. Veja abaixo.

Veja mais

Prefeitura implementa novas ferramentas no Taxi.Rio

Câmara praticamente legaliza o Funcionário Fantasma

Lula

@LulaOficial

Eu não estou preso, eu sou refém. Quem não entendeu isso ainda não entendeu o que está acontecendo comigo.

12.7K people are talking about this

Lula

@LulaOficial

Eu não estou preso, eu sou refém. Quem não entendeu isso ainda não entendeu o que está acontecendo comigo.

Lula

@LulaOficial

Se tem alguém disposto a fazer oposição nesse país sou eu.

2,025 people are talking about this

 

 

 

A manifestação de Lula vem um dia após o ato do ministro Dias Toffoli, que derrubou a decisão liminar de seu colega Marco Aurélio Mello, que determinava a libertação de todos os que estão presos no país por terem sido condenados em segunda instância.

De acordo com nota oficial divulgada pelo PT nesta quinta, “não há precedentes, na tradição brasileira, de uma perseguição tão cruel a um líder político reconhecido internacionalmente.”

A sigla destaca um ponto específico no imbróglio a que o país assistiu na última quarta. É que a procuradora-geral da república, Raquel Dodge, decidiu insurgir-se contra a decisão de Marco Aurélio Mello, mas não quanto a seu efeito geral, que colocaria em liberdade todos aqueles que estão tendo sua pena antecipada no país. Ela só interpôs recurso contra a soltura de Lula, única e especificamente Lula, conforme destaca a nota:

“A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, rebelou-se contra a Justiça e requereu a suspensão da liminar (o que não tem precedentes), e o fez especificamente em relação ao cidadão Luiz Inácio Lula da Silva, e somente a Lula, sendo que a decisão do ministro Marco Aurélio dirigia-se indistintamente a todos que cumprem prisão antecipada antes do trânsito em julgado.””

Clique aqui para ler a íntegra da nota.

 

Muito obrigado por ter chegado até aqui…

… Mas não se vá ainda. Ajude-nos a manter de pé o trabalho de CartaCapital.

O jornalismo vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões. Está a serviço da democracia e da diversidade de opinião, contra a escuridão do autoritarismo do pensamento único, da ignorância e da brutalidade. Há 24 anos CartaCapital exercita o espírito crítico, fiel à verdade factual, atenta ao compromisso de fiscalizar o poder onde quer que ele se manifeste.

Nunca antes o jornalismo se fez tão necessário e nunca dependeu tanto da contribuição de cada um dos leitores. Seja Sócio CartaCapital, assine, contribua com um veículo dedicado a produzir diariamente uma informação de qualidade, profunda e analítica. A democracia agradece.

Comentários
Carregando...
JÁ CURTIU A NOSSA PAGINA?

Send this to a friend