Em homenagem à cultura, Prefeitura promove encontro histórico de Nelson Sargento com Arlindo Cruz

.

O prefeito Marcelo Crivella promoveu nesta quarta-feira (22/01) um encontro histórico de dois mestres do samba, Nelson Sargento e Arlindo Cruz, que estavam entre os 15 personagens que receberam a Ordem do Mérito Cultural Carioca. O evento lotou o Palácio da Cidade, em Botafogo, reconhecendo a importância de personalidades e instituições por suas contribuições à cultura da cidade. A premiação foi criada em 2018 pela Prefeitura do Rio e é a mais alta honraria do município.

– A homenagem foi pequena, diante do vulto que vocês representam para a nossa cultura. Não há palavras que possam dimensionar  o trabalho que vocês fazem por nós todos. A herança que vão deixar é muito maior do que concreto, madeira, pedra e outros monumentos que se fazem com dinheiro. Essa é a nossa mais sincera homenagem, reconhecimento e gratidão. Os nomes de vocês ficam inscritos com letras de ouro, de maneira indelével, na gratidão dos homens e mulheres de bem do Rio de Janeiro – afirmou Crivella, que lembrou ainda o investimento que a Prefeitura tem feito na cultura: – Este ano, o Rio de Janeiro terá R$ 54 milhões, quem sabe até um pouco mais, para investir em cultura com os recursos incentivados do ISS.

Quem são os homenageados?

Foram homenageados a Associação das Baianas de Acarajé do Estado do Rio De Janeiro (Abam Rio), Associação das Escolas de Samba Mirins do Rio de Janeiro, Maria Moura, Fernanda Montenegro, Espaço Cultural BNDES, Circo Crescer e Viver, Nelson Sargento, Museu da Maré, Mestre Derli, David Vieira Bispo, Candonga (homenagem post mortem), Candeia (homenagem post mortem), Arlindo Cruz, Adelzon Alves e Biblioteca Estação Leitura.

Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca se apresenta durante a premiação. Foto: Renee Rocha/Prefeitura do Rio

 

Agradecimentos e emoção marcam a cerimônia

Com Arlindo Cruz e Nelson Sargento na primeira fila, a cerimônia de premiação teve momentos emocionantes. Arlindinho, filho de Cruz, cantou um dos sucessos do pai, O Show tem que continuar. Em nome do marido, que se recupera de um problema de saúde, Bárbara Cruz agradeceu:

– Ele nasceu com o samba na veia e formou a trilha sonora de milhares e milhares de pessoas, sempre com mensagens de amor, positivas, de respeito e carinho. Quero agradecer à Secretaria Municipal de Cultura por essa iniciativa, em nome da família Cruz, um beijo no coração de todos – disse a mulher de Arlindo Cruz.

Nelson Sargento, de 95 anos, também se disse feliz pelo reconhecimento:

– Claro que estou feliz. É o meu trabalho premiado, se ganhei é porque fiz algo útil culturalmente. O samba agoniza mais não morre.

A festa terminou com a apresentação da escola de samba mirim Império do Futuro.

Associação das Baianas de Acarajé do Estado do Rio De Janeiro foi uma das entidades premiadas. Foto: Renee Rocha/Prefeitura do Rio

 

Quem elege os premiados?

Os agraciados foram indicados pela própria população por meio de participação on-line. Após mais de 520 indicações, o grupo foi selecionado por uma comissão composta pelo secretário municipal de Cultura, Adolfo Konder, a representante do Conselho Municipal de Cultura, Rosa Perdigão, a jornalista Rachel Valença, a gerente do Museu Histórico da Cidade, Luciana Mota, além do poeta Carlos Nejar, homenageado este ano na 27ª edição do Paixão de Ler.

Nelson Sargento ao receber a premiação: “O samba agoniza mas não morre”. Foto: Renee Rocha/Prefeitura do Rio

Veja mais informações sobre quem recebeu a Ordem do Mérito Cultural Carioca

Biblioteca Estação Leitura – Há 6 anos funcionando na estação Central do MetrôRio, a Biblioteca Estação Leitura já realizou 86 mil atendimentos, cerca de 30 mil empréstimos de obras e mais de 100 eventos literários.

Adelzon Alves – Em agradecimento pelo trabalho do “amigo da madrugada”, que deu luz a grandes nomes da nossa música e da nossa cultura. Adelzon Alves tem mais de 50 anos na comunicação, com uma intensa trajetória marcada pela luta em prol da cultura popular.
Arlindo Domingos da Cruz Filho – Diretamente de Madureira, o cantor, compositor e instrumentista Arlindo Cruz é u dos nossos homenageados.

Candeia – O ‘Mensageiro do samba’ foi um cantor, compositor e instrumentista nascido e criado em Oswaldo Cruz. Batuques, cantigas de capoeira e de roda estão presentes na obra de Candeia, assim como a doçura do samba-canção. Defendeu o samba como uma maneira de afirmação cultural e de identidade, nos deixando um grande legado.

José Geraldo de Jesus (Candonga) – Portelense, figura folclórica do samba carioca, Mestre Candonga  abria o caminho na passarela para a passagem das escolas e tinha a grande responsabilidade de orientar a entrada do coração do Carnaval carioca: a bateria.

David Vieira Bispo – Comerciante e agente cultural, David Vieira Bispo cresceu no Morro da Babilônia. Foi lá também que desenvolveu um empreendimento que mostraria ao mundo o potencial criativo da favela. Sambista de berço e mestre de bateria de mão cheia, juntou o ritmo à gastronomia e virou notícia no mundo inteiro graças ao seu talento..

Mestre Derli da Silva Costa – Capoeirista com um importante trabalho na formação de crianças e jovens da Cidade de Deus. Mestre Derlí da Silva Costa já ganhou prêmios internacionais, se apresentou para líderes mundiais e até virou personagem de livro, mas o seu grande orgulho é poder transformar tantas vidas.

Museu da Maré – Preservar e contar de maneira singular a história de um lugar marcado pela violência, mas também pela alegria, pela cultura e pelo amor. Através da construção de memórias, o Museu da Maré contribui para a dignidade social dos moradores da favela.

Espaço Cultural BNDES – Desde 1985, o arrojado espaço de moderna arquitetura tem proporcionado o livre acesso à cultura e à formação de plateias, oferecendo gratuitamente espetáculos de notória qualidade.

Nelson Sargento – 95 anos e uma trajetória que passa pela música, literatura e artes plásticas, mas foi através do samba que o bamba deixou obras históricas que o tornaram um cidadão do mundo. O samba é a especialidade de Nelson Sargento, um talento que sabe como ninguém retratar a vida de seu povo.

Circo Crescer e Viver – Criado em 2001, como um projeto de circo social, o Circo Crescer e Viver  expandiu seus programas, projetos e atividades para os campos da formação, produção, difusão e fruição das artes circenses, se consolidando como um empreendimento sociocultural com atuação em todos os elos da cadeia produtiva do circo.

Fernanda Montenegro – Carioca nascida em Cascadura, Fernanda Montenegro é uma das maiores atrizes brasileiras de todos os tempos e tem uma história recheada de trabalhos premiados no Brasil e no exterior. Em 1999, foi a primeira mulher latino-americana indicada à categoria de melhor atriz no Oscar.

Maria Enésia Alves de Moura – Baluarte de nossa cultura, figura incansável na luta pela ressignificação das questões sociais no país. É enfermeira, advogada, e também graduada em Gestão de Carnaval. À frente de projetos culturais e da ONG ABARAJÉ, Maria Enésia Alves de Moura é responsável pela tradicional lavagem de pista da passarela da Marquês de Sapucaí, respeitada no mundo do samba e por seus representantes de todas as gerações.

Associação das Escolas de Samba Mirins do Rio de Janeiro – A associação é uma entidade representativa das escolas de samba mirins da cidade do Rio de Janeiro. Embora os desfiles mirins sejam bem mais antigos, a entidade foi fundada em 2002 e atualmente conta com 17 escolas filiadas.

Associação Nacional das Baianas de Acarajé – A entidade é uma salvaguarda do ofício das baianas, que conta com aproximadamente quatro mil filiadas em todo o Brasil.  O Oficio da Baiana de Acarajé é patrimônio imaterial reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

Saiba mais sobre a medalha, quem a criou, o que ela simboliza

A Medalha São Sebastião do Rio de Janeiro da Ordem do Mérito Cultural Carioca foi criada pelo IED – Instituto Europeu de Design, por meio de um concurso interno. A imagem busca sintetizar tanto a beleza natural quanto a construída pelo homem, integrada e inseparável do ambiente. Assim, representa-se uma moldura inspirada nos Arcos da Lapa, aqueduto histórico, símbolo da vida boêmia carioca, onde a atividade cultural é pulsante. No centro da medalha, está o Pão de Açúcar, uma das paisagens mais deslumbrantes da cidade, uma verdadeira obra de arte da natureza. A composição equilibrada entre o Morro do Pão de Açúcar, o Morro da Urca e o Morro da Babilônia é complementada pelo espelho d’água da Baía de Guanabara.

 

Carregando...
Botão Voltar ao topo
Fechar