fbpx

Processo de impeachment contra Crivella abre crise em partido de Romário

O processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella abriu uma crise no partido Podemos, do senador Romário.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella abriu uma crise no partido Podemos, do senador Romário. O secretário do partido, Marcos San, disse nesta quinta-feira que vai fazer uma representação no Conselho de Ética do Podemos pedindo a expulsão do vereador Luiz Carlos Ramos Filho.

A decisao foi tomada após San tomar conhecimento da resposta de Ramos Filho a à declaração de San a uma coluna do jornal “O Dia”. San havia dito ao jornal que Ramos Filho deveria entrega os cargos que tem na prefeitura ou sair da comissao processante.

Ramos Filho indicou o subsecretário municipal de Bem Estar Animal, Roberto da Conceição, e o subsecretário municipal de Relações Institucionais, Luiz Cadorna. Ao comentar o depoimento de San à publicação através de nota na manhã desta quinta-feira, o vereador disse que é “bem mandado, desde que mandem fazer aquilo que quero fazer”:

Veja mais

Empregos: Feirão oferece mais de 400 vagas

“Sou bem mandado… Desde que mandem fazer aquilo que quero fazer. O Marcos San que vá mandar no senador dele. Chega de tentar pegar na aba do chapéu.”

– O Podemos faz oposição a um governo que tem uma gestão desastrada. É antiético fazer parte do governo e da comissão de impeachment. O Ramos deveria ter se declarado impedido de participar do sorteio que escolheu os nomes da comissao. Com uma resposta dessas, o único caminho é o Conselho de ética- disse Marcos San

A assessoria de Ramos Filho argumentou que cabe ao prefeito decidir quem ele nomeia ou exonera. E que o fato de o vereador ter sugerido nomes para o quadro do município não afeta sua neutralidade na comissão. Disse ainda que o nome do subsecretário de Bem Estar Animal foi uma indicação de protetores de animais.

Comentários
Carregando...