fbpx

Suzano: autores do massacre participavam de fórum virtual extremista

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os autores do massacre com 10 mortos e ao menos 23 feridos, em Suzano (SP), publicaram sobre o ataque no fórum virtual Dogolochan. Eles supostamente agradeceram a ajuda de outros membros e deixaram rastros para avisar internautas sobre o crime. A informação foi publicada pelo portal R7.

O fórum extremista é conhecido como um local onde são discutidos abertamente a prática de crimes. Tópicos abertos mostram que Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e Guilherme Taucci Monteiro, de 17, pediram dicas de como realizar o ataque.

Um print do dia 7 de março mostra o que pode ser um dos atiradores agradecendo DPR, o administrador do Dogolachan pelos conselhos recebidos.

“Muito obrigado pelos conselhos e orientações, DPR. Esperamos do fundo dos nossos corações não cometer esse ato em vão. (…) Nascemos falhos, mas partiremos como heróis. (…) Ficamos espantados com a qualidade, digna de filmes de Hollywood”, diz a mensagem.

Outros usuários questionaram se os atiradores eram integrantes do grupo e a resposta dada por um dos administradores foi positiva.

Autores
Pouco antes de chegar até a escola, Guilherme efetuou um disparo contra seu tio numa concessionária onde já havia trabalhado. Nas redes sociais, ele publicou que estava viajando para São Paulo e incluiu 30 fotos. Entre as imagens, estão fotos segurando a arma usada no tiroteio e usando a máscara de caveira com a qual foi encontrado.

Além de  revólver calibre .38, os dois portavam armas incomuns: uma besta – que é uma arma medieval—, arco profissional, machado, coquetel molotov e explosivos.

À revista Veja, o avô de Guilherme afirmou que o neto morava com ele e que  os pais do adolescente eram dependentes químicos. Segundo a revista, alunos que se encontravam em frente ao local do crime disseram que Guilherme ameaçou colegas num shopping, três dias antes.

O avô disse ainda que o neto trabalhou na concessionária do tio que foi atingido por um disparo feito por Guilherme antes do ataque à escola e que havia sido demitido há dois anos.

“Era um menino bonzinho, não tinha problemas com drogas e nunca me deu trabalho”, disse o avô à Veja.

Vítimas
A polícia identificou todas as oito vítimas da tragédia na escola estadual Raul Brasil. Entre elas, estão duas servidoras da escola e um comerciante da região, tio de Guilherme Taucci Monteiro. Confira a lista atualizada, divulgada em nota nesta noite, pelo governo de São Paulo:

Veja a lista dos 10 mortos:

Alunos da escola
1. Caio Oliveira, 15 anos, estudante
2. Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, estudante
3. Douglas Murilo Celestino, 16 anos, estudante – socorrido no Hospital de Clínicas Luzia Pinho de Melo, mas foi a óbito
4. Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, estudante
5. Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos, estudante

Funcionárias da escola
6. Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos
7. Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos

Atiradores
8. Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos
9. Luiz Henrique de Castro, 25 anos

Dono da locadora
10. Jorge Antonio de Moraes, 51 anos – transferido do PSM de Suzano para o HC/FMUSP, onde foi a óbito

Na nota, ainda é possível ver a lista de feridos: são 11 estudantes em atendimento na rede pública, com idades variando entre 14 e 20 anos.

Comentários
Carregando...