A Lenda Da Aparição De Nossa Senhora Em Pedra De Guaratiba

 

A Lenda Da Aparição De Nossa Senhora Em Pedra De Guaratiba

Corre a lenda, passada através de gerações de Guaratibanos, que no final da Barros de Alarcão próximo de uma elevação do terreno, à beira-mar, Nossa Senhora (Maria) apareceu , operou um milagre e solicitou a construção de uma Igreja naquela localidade em reverência a Nossa Senhora do Desterro ( padroeira dos Imigrantes, na Itália chamada de “Madonna Degli Emigrati”).

Manuel Veloso Espinha, o donatário de Guaratiba dividiu suas Terras entre seus dois Filhos: Manoel Veloso Espinha Filho e Jerônimo Veloso Cubas, sendo o Rio Piraquê o marco divisório das terras, ficando o primeiro com Barra de Guaratiba e o Segundo com Pedra de Guaratiba. Como se sabe, Jerônimo Veloso e sua esposa Beatriz Gagio não tiveram filhos, entre as pessoas próximas do casal havia uma velha Índia cega que fora catequizada e ritualmente, rezava aos fins de tarde na beira do mar junto à uma elevação. Certo dia, essa Índia relatou uma visão em que Nossa Senhora lhe aparecia pedindo a construção de uma igreja naquela localidade, dizia ainda que a Igreja deveria ser chamada Nossa Senhora do Desterro, dito isto a índia voltou a enxergar, o que para seus patrões foi considerado uma prova fiel desta aparição. Após esse episódio, o casal construiu a Igreja (1628) e a doou aos Padres Carmelitas, que possuíam um convento próximo. Contam ainda que foram postos três cravos nas mãos da Imagem de Nossa Senhora, e os mesmos duraram gerações e gerações, em frente à igreja foram plantadas três árvores, na época da construção, duas ainda permanecem atualmente.

Fé, fanatismo ou interesses logísticos? É certo de que a visão da igreja era privilegiada para toda a Baía de Sepetiba, e naquela época muitos piratas e corsários singravam as águas daquele Mar, a fazenda da Pedra era próspera: açúcar, rapadura, aguardente, milho, aipim e Gado bovino, além do ouro do Convento, eram itens constantes naquele lugar, que registrou até invasões francesas como narra o escritor André Luis Mansur, na obra A Invasão Francesa no Brasil. Acreditando ou não, quem desfrutar de uma bela manhã ou fim de tarde tendo a Igreja ao fundo e sua linda vista para o mar, pode conferir a atmosfera mística que cerca o lugar, dotado de muita história, conflitos, natureza e religiosidade. Certamente um lugar do bairro muito especial para visitar quando esta pandemia acabar.

A imagem que ilustra essa postagem foi feita a partir de uma pintura no interior do Restaurante Rei da Empada na Barros de Alarcão, o Restaurante é muito famoso através de seu belo quitute que além de ser carro chefe do menu, batiza o estabelecimento. A autorização foi feita por Fernando Fonseca, proprietário do Restaurante e também apaixonado por Pedra de Guaratiba, o autor desta bela pintura é Geraldo Clemente, outro ilustre morador do bairro, famoso por construir embarcações, artesanato e pintura caiçara.

Por Paulo Jorge Neves

@pedra de Guaratiba e seus encantos

 

Carregando...
Botão Voltar ao topo
Fechar