‘Quero a prisão delas se for preciso’, diz ex-empresária de Pepê e Neném

Angélica Capelete trabalhou durante três anos com a dupla e cobra os direitos por não ter recebido

Ex-empresária e assessora da dupla Pepê e Neném, Angélica Capelete vai entrar com um pedido de busca e apreensão de um automóvel Golf modelo 2007, que foi penhorado pela Justiça como parte do pagamento da dívida das cantoras com ela. Angélica soube na última sexta-feira (24) que o carro foi vendido. “Como se vende um bem bloqueado judicialmente? Onde está o documento de compra e venda? Quem é esse comprador? Eu quero o que é meu de direito e eu ganhei esse automóvel na Justiça”.
Durante três anos, Angélica Capelete trabalhou com Pepê e Neném sob um contrato de que todos os trabalhos conseguidos por ela para a dupla,a empresária ganharia 20% dos cachês. Em 2014, logo depois da eliminação de ‘A Fazenda 7’, as cantoras sumiram. “Esperei alguns meses um contato e nada. Entrei na Justiça e estou há cinco anos e meio lutando para receber uma indenização da multa de rescisão do contrato não paga. Pedi R$ 74 mil lá atrás com o processo de número 1003015-32.2015.8.26.0196 e, hoje, com juros e correção monetária chegaria aos R$ 100 mil. Bloqueei tudo que o foi possível durante esse tempo e consegui, além do carro, R$ 12 mil que ainda não me foram liberados porque elas entram com recursos alegando que esse dinheiro é de subsistência delas”, revela a empresária, que passa por sérias dificuldades financeiras.
“Quem trabalha com entretenimento sabe como estão as coisas. Eu não tenho auxílio emergencial, não tenho trabalho e estou vivendo do pouco que ainda me resta. Dei entrada na Justiça pedindo o carro para poder conseguir me manter e fui surpreendida. Cansei de esperar e agora vou até o fim. Não vou mais ponderar. Quero a prisão delas se for preciso. As pessoas tem que saber que não podem deixar de honrar seus compromissos. Contratos existem para serem cumpridos”, desabafa Angélica.
Carregando...
Botão Voltar ao topo
Fechar