fbpx

Esposa pediu para que homem não atirasse no marido em briga de bar em Campo Grande

Anderson Reis teve alta na manhã desta terçaArquivo Pessoal
Um dos três homens que foi baleado durante uma briga de bar em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, no último domingo, foi atingido na frente da esposa. “Ela gritou ‘não faz isso”, conta Anderson Reis, de 29 anos, antes de ser atingido por um tiro nas costas, que entrou pelo seu ombro direito e saiu no lado esquerdo.
Além da esposa, a filha de dois anos de Anderson também estava presente e viu a hora em que o pai foi atingido. Além do rapaz, Filipe dos Santos, de 21 anos, e Daniel Victorino, 28, também foram baleados pelo mesmo homem.
Filipe e Daniel estão internados em estado grave, o primeiro no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, e o segundo no Hospital Rocha Faria, ainda em Campo Grande. De acordo com o amigo, os dois correm risco de vida.
“A bala atingiu o intestino e o fígado deles, fazendo com que eles perdessem o baço”, conta Anderson.

Secretaria Municipal de Saúde, que cuida do Albert Schweitzer, e a RioSaúde, que gera o Rocha Faria, disseram que Filipe e Daniel estão em estado grave no CTI das respectivas unidades.

Daniel Victorino está internado em estado grave no Rocha FariaArquivo Pessoal
CONFUSÃO GENERALIZADA
A confusão com os três amigos envolveu o homem que atirou neles e seu filho. Tudo começou quando os rapazes, que tinham acabado de voltar de uma partida de futebol, convidaram um morador de rua conhecido na região para se juntar a eles. O bar fica na Estrada do Guandú do Sena, próximo da localidade chamada de Carobinha.
De acordo com Anderson, a dona do bar reclamou que o morador de rua teria xingado-a. Os amigos acalmaram a situação até que o homem que atirou contra eles se envolveu na briga.
“A princípio tinha amenizado a situação. Quando voltei do banheiro, vi a churrasqueira no chão e falaram que ele tinha jogador o morador de rua em cima dela. Eu disse que não precisava daquilo, que a gente se conhece há bastante tempo”, relembra Anderson.

Ainda segundo o jovem, os ânimos se acirraram, mas o filho do homem deu um soco no rosto de Daniel.

Filipe postou uma foto com o morador de rua momentos antes de ser baleadoArquivo Pessoal
TIRO À QUEIMA-ROUPA
Foi quando o homem correu para o caminhão dele que estava estacionado no local, pegou um revólver calibre 38 e começou a atirar nos amigos. Anderson, que chegou a ter a arma apontada para sua cabeça, foi o primeiro atingido.
“O Filipe se aproximou dele com a mão levantada, pedindo calma até que ele deu dois tiros à queima-roupa na barriga dele”, diz Anderson, acrescentando que o Daniel foi atingido em seguida, pelas costas.

Anderson recebeu alta do Rocha Faria na manhã desta terça-feira. Nesta quarta, ele foi até a 35ª DP (Campo Grande), que investiga o caso, para dar mais informações.

Da esquerda para a direita: Filipe, Daniel e AndersonArquivo Pessoal
HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA
Os amigos dizem que o homem que atirou neles é morador da mesma região e tem um histórico de agressões. Ele trabalha entregando verduras e legumes a estabelecimentos comerciais da comunidade Nova Holanda, no Complexo da Maré.
O delegado Luís Maurício Armond Campos, titular da 35ª DP, disse que a procura por pai e filho estão sendo feitas desde o registro da ocorrência.
“A gente vai buscar ouvi-los. Precisamos intimá-los, já que não foram presos em flagrante. Vamos adotar as meditas necessárias”, conta o delegado. “Vamos analisar todos os contextos e todos os depoimentos. Os fatos inicialmente estão bastante esclarecidos”.
Fonte: o dia

 

Carregando...
Botão Voltar ao topo
Fechar