fbpx

HOSPITAL ROCHA FARIA ESCLARECE DENÚNCIA DE PACIENTE EM CAMPO GRANDE

 

Recebemos uma denúncia de uma internauta do Antigo Campo Grande e paciente do hospital Rocha Faria em Campo Grande  vejam o relato abaixo

“Tive neném dia 01.01.2020 meu filho não virou em todas as ultras estava sentado. Fui para a consulta de pre natal dia 27/12/2019. normal cheguei la com a pressao a 17 e sentindo contracao sem dor chamaram a cegonha pra mim e dei entrada no hospital rocha faria uma semana antes dele nascer com 40s e 3 dias com a pressão alta e com um encaminhamento de Cesária. Não quiseram fazer e abaixaram a minha pressão e me mandaram pra casa ,mandaram eu voltar quando completasse 41s só, falaram que o Hospital não pode enternar ninguém antes das 41s que era protocolo deles.. tenho todas as ultras afirmando meu filho está sentado e virado ao lado ao contrario . inclusive no dia que dei entrada lá bateram uma ultra pra confirmar . Na madrugada do dia 31 pro dia 1. Comecei a passar mal meu tampão saiu . Fui para o hospital sem dores ainda apenas com contração, dei entrada no hospital as 4h da manhã com 2cm de dilatação, o médico me avaliou e fez a papelada pra Cesária enquanto eu fazia isames . Sendo que avisei que delato muito rápido e meu filho jaja iria nascer , ele riu e falou que era impossível me mandou pra sala de exames . Quando deu 6:50 Da manhã já não aguentava mas de dor e o médico falou que iria trocar o plantão que o outro plantão que fizesse a minha Cesária porque o dele já estava indo embora (o plantão troca as 7h da manha) quando deu exatamente 7h da manhã a minha bolsa estorou e os 2pés do meu filho saiu pra fora. As enfermeiras me colocaram na maca e correram pra sala de cirurgia chegou lá ele estava se arrumando pra ir embora, ficou com raiva e botou de novo a roupa e veio fazer meu parto falou que não iria ser Cesária que iria fazer normal, e enventou que o anestesista tinha ido embora . Reuniu a equipe toda de novo nao deixaram minha mae entrar botaram ela la fora porque era parto de emergencia. me botaram na cama e ficaram mandando eu fazer força. A posição que meu filho estava não saia e as pernas dele estavam cruzadas e dobrada também eles então amarraram a minha perna e 2 enfermeiras ficou ainda segurando abrindo a minha perna mas ainda, ele subiu em cima da minha barriga e ficou empurrando, e outra médica ficou puxando os pés do meu filho eu já não tinha mas força pra nada estava quase desmaiando me aplicaram uma injeção que não sei oque era, ela puxando meu filho e ele em cima da minha barriga tava doendo tanto que eu não tava mas aguentando, e tava falando pra ele sair de cima de mim tirando a mão e o braco dele entao pegaram e seguraram o meu braco pra cima , meu filho saiu preto demais não chorava não fazia nada correram com ele pra outra sala e o médico me limpou e falou que não precisava de pontos, que estava tudo bem mandou a enfermeira por uma fralda em mim tirou a roupa e foi embora . Logo depois trouxeram meu filho ele estava roxinho ainda o corpinho dele . As enfermeiras botaram a roupa nele e me deram . Estava sentindo muita dor na barriga e na vagina. Mas OK subi pro quarto de maca e botaram gelo na minha vagina. Nunca vi tanto sangue na minha vida igual saia da minha vagina, fui trocar a fralda do meu filho quando vi estava todo roxo os pezinhos roxo e com ematomas os bracinhos as pernas e a bundinha. Um absurdo e fora a minha barriga cheia de ematoma roxo . Nao aguento nem andar de tanta dor. Depois a pediatra da UTI me falou que impossível não ter anestesista tem 3 anestesista no hospital e se ele foi embora mesmo o médico poderia ter chamado de outro setor , ele não fez a Cesária porque não quis por negligência deles eu ou meu filho poderia estar morto agora . Fiquei 5 dias no hispital tavam achando que o osso da escosta dele estava deslocado tavam fazendo isames e ele em obs… graças a Deus estava tudo certinho.. tava achando que eu tava rasgada mas estava inchado ainda não dava pra notar passando a mão e não tinha como ver . Entao a obstetra passou nas visita diaria me olhou rápido e falou que tava tudo certo. Cheguei em casa fui olhar no espelho está rasgado demais. Ele não me costurou por pressa! Quero processar os medicos e o hospital ! Tirei foto de tudo”

 

A Riosaude  responsável pela administração do hospital Rocha Faria nos informa

 

A direção da RioSaúde, responsável pela administração do Hospital Municipal Rocha Faria, vai abrir uma investigação interna para apurar o que aconteceu e adotar as medidas cabíveis em relação aos responsáveis.

Os profissionais ouvidos até o momento relataram que todos os procedimentos adotados estão de acordo com os protocolos médicos.

Na primeira vez que foi atendida, ela foi orientada a retornar assim que completasse 41 semanas ou antes disso, caso entrasse em trabalho de parto. Importante ressaltar que como unidade de emergência, não existe a possibilidade de marcação de cirurgia.

No dia em que retornou, já com contrações, ela foi internada e encaminhada para o centro cirúrgico. Diante da rápida evolução para o parto, foi descartada a realização da cesárea, sendo necessário o melhor posicionamento da paciente para o nascimento do bebê. As manobras podem deixar marcas na pele da paciente, mas estão de acordo com o protocolo. A injeção citada é um medicamento recomendado pelo Ministério da Saúde para evitar hemorragia ( Ocitocina ).

Sobre o bebê, ele nasceu chorando e com bem-estar fetal, ficando em observação devido a um cisto localizado acima da clavícula. Não há nenhuma relação com o parto.

A despeito de tudo o que foi apurado, reiteramos que a conduta dos profissionais será investigada.

  1. A equipe médica está à disposição para mais esclarecimentos.

 

 

 

Carregando...
Botão Voltar ao topo
Fechar