fbpx

Jovem fica ferido após explosão de bomba no bloco da Favorita

Artefato atingiu um isopor com garrafas de vidro

O estudante João Victor, de 18 anos, não imaginava que sair para curtir o bloco de carnaval da Favorita, em Copacabana, poderia resultar em uma internação no hospital. O jovem foi atingido por estilhaços de vidro após uma bomba de efeito moral, jogada pela PM, atingir um isopor cheio de garrafas de cerveja. O rapaz ficou com o rosto ferido e precisou ser socorrido para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, Zona Sul do Rio.
A prima de João Victor, Thaísa Souza, auxiliar de serviços gerais, explica que o rapaz estava com o rosto ensaguentado e com algumas queimaduras: “Ele está bem machucado. Na hora a explosão atingiu o óculos, estourou e acertou os olhos dele”, explica.
O rapaz, que mora em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, havia ido ao local acompanhado de alguns amigos e um primo, que também ficou ferido. Ele precisou de atendimento no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, mas segundo familiares, logo foi liberado.

 

Policial ficou ferido
Durante a ação, um policial que atuava na orla de Copacabana, foi atingido na cabeça por uma garrafa. A PM informou que o agente foi socorrido ao Hospital Municipal Rocha Maia, onde recebeu atendimento médico e foi liberado. Até o momento, na apuração de ocorrências, constam oito presos e quatro apreendidos ao longo do evento.
A Polícia Militar não se posicionou sobre o caso de João Victor.
Balanço de operações 
A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol)divulgou que as delegacias 5ª DP (Lapa) , 12ª DP (Copacabana), 19ª DP (Tijuca) e  Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (DEAT) atuaram no bloco. As unidades realizaram registros de 28 prisões em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, roubo e furto. Também foram cumpridos um mandado de prisão e duas buscas e apreensão de menores. Das 12h às 24h foram realizados ainda 85 registros de ocorrência relativos a crimes ocorridos durante o evento.
A Guarda Municipal
Além do Policial Militar, um Guarda Municipal também ficou ferido na confusão. Segundo informações da corporação,  uma equipe foi atacada por ambulantes e outras pessoas, que atiraram garrafas de vidro, pedras e outros objetos. Os agentes precisaram usar equipamentos de menor potencial ofensivo para conter o tumulto nas proximidades do Hotel Copacabana Palace.
A operação especial de aberturas do Carnaval contou com o apoio de 231 agentes, atuando no patrulhamento e nas ações de controle e fiscalização de trânsito.
Operação de limpeza da orla
A Comlurb recolheu 48,7 toneladas de lixo durante o bloco da Favorita. O evento também contou com a eleição de Rei Momo, rainha e princesas do Carnaval. A operação especial contou com 242 garis e 38 agentes de limpeza urbana divididos em turnos, desde as 8h até meia-noite. Os serviços incluíram: varrição, esvaziamento de contêineres e papeleiras, e remoção de resíduos gerados pelos foliões.

 

As equipes realizaram uma pré-limpeza desde as 8h, na Avenida Atlântica, nas vias de acesso ao palco e na entrada das estações Cardeal Arcoverde, Siqueira Campos e Cantagalo do metrô. Segundo a companhia, a operação especial foi concluída durante e após o evento, em diversos pontos, incluindo ruas transversais, do Posto Seis à Avenida Princesa Isabel, a Nossa Senhora de Copacabana e Barata Ribeiro, e toda a área em frente ao palco.
Os garis trabalharam em toda a orla, do Posto Seis à Avenida Princesa Isabel, no calçadão, ciclovia, pista ao lado da ciclovia, canteiro central, e pista e calçada dos prédios. Foram disponibilizados 120 contêineres de 240 litros nos acessos ao evento, além dos 300 que foram colocados na faixa de areia pelo programa Praia Limpa, e a Companhia trabalhou com 32 veículos, entre compactadores, basculantes, pás carregadeiras e uma van lava jato para a lavagem das vias ao fim do evento, com água de reuso.

 

Fonte
O Dia
Carregando...
Botão Voltar ao topo
Fechar