The news is by your side.

Casos de gripe no RJ já são 800% maiores que os de Covid-19 nas últimas semanas

142

 

 

O número de casos de gripe (Influenza) registrados na cidade do Rio de Janeiro nas últimas semanas é oito vezes maior que o número de casos de Covid-19, segundo dados da Prefeitura do Rio.

Só nas últimas semanas, segundo a secretaria municipal de saúde, foram notificados 23 mil de Influenza no município. Já entre 1 de novembro e 7 de dezembro, o painel da Covid-19 registrou 2.743 casos da doença.

 

 

número de casos de gripe (Influenza) registrados na cidade do Rio de Janeiro nas últimas semanas é oito vezes maior que o número de casos de Covid-19, segundo dados da Prefeitura do Rio.

Só nas últimas semanas, segundo a secretaria municipal de saúde, foram notificados 23 mil de Influenza no município. Já entre 1 de novembro e 7 de dezembro, o painel da Covid-19 registrou 2.743 casos da doença.

O infectologista Alberto Chebabo, integrante do comitê científico da prefeitura, foi um dos pesquisadores que confirmou a informação para a CNN.

“Existe uma definição do que é uma epidemia. E a Influenza no Rio preenche este critério. Consideramos epidemia quando existe um aumento de casos acima do esperado em vários bairros ou diferentes regiões administrativas ou mesmo em um estado ou país”, disse Chebabo.

Outro especialista que concorda com o cenário epidêmico no Rio de Janeiro foi o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

,

Durante a pandemia a gente não tinha essa exposição, e agora nós estamos tendo essa epidemia de gripe. Mas, pelo lado positivo, a maioria das contaminações não evoluem para casos graves”, explica Diego Xavier.

Para o infectologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Júlio Croda, o surto de gripe na cidade do Rio de Janeiro está diretamente relacionado com a baixa cobertura vacinal contra a Influenza. Segundo dados do Ministério da Saúde, a cobertura vacinal na capital fluminense é de 54,9%.

“O surto de Influenza que está acontecendo no Rio de Janeiro é fruto da flexibilização das medidas preventivas e as baixas coberturas vacinas. Note-se que que a cobertura para Covid-19 é extremamente elevada e, portanto, consegue proteger a população apesar das flexibilizações”, destacou

 

Você pode gostar também