Rio – “Ele gostava de ajudar as pessoas, se via alguém sem camisa, morador de rua, ele dava a roupa do corpo. Um menino muito bom, bobo. Tanto que não correu”, disse Sueli Santos, emocionada, à reportagem. Ela é mãe de Fabrício dos Santos Silva, 24 anos, conhecido como Salah e jogador do time de futebol amador São Caetano. Testemunhas ouvidas pela polícia,  afirmaram que, por ele ser Morador de Manguinhos, área do Comando Vermelho (CV), foi morto na madrugada deste sábado, ao entrar no Morro da Cruz, na Tijuca, região de atuação do Terceiro Comando Puro (TCP). O caso está sendo apurado pela Delegacia de Homicídios (DH) as informações são do jornal O dia
De acordo com a mãe, Fabrício estava com dois amigos, em um bar de Manguinhos, quando soube de uma festa no morro do Borel, também na Zona Norte. Eles chamaram um Uber, que deixou os três no Morro da Cruz: uma extensão do Borel, dominada pela quadrilha de traficantes rivais que atua em Manguinhos.
Ainda de acordo com Sueli, os amigos, ao serem informados que não estavam no Borel, saíram correndo. Já Fabrício ficou conversando com uma moradora do local, que disse para ele ficar calmo e que o ajudaria.