The news is by your side.

Feira de São Cristóvão completa 75 anos no domingo; espaço ganha cardápio com QR Code para evitar contaminação na pandemia

14

O Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, mais conhecido como Feira de São Cristóvão, comemora 75 anos no domingo (27), com programação especial para o final de semana.

As comemorações, respeitando as regras de ouro da prefeitura, seguem até o final do ano com lives temáticas. Além disso, quem quiser visitar o espaço vai encontrar muita diversão, música e comidas tradicionais, como baião de dois e carne de sol.

Por causa da pandemia, o espaço passou por adaptações. O cardápio agora é em QR Code — código de barras bidimensional — para evitar o compartilhamento de várias pessoas.

Os primeiros movimentos começaram em 1945, quando retirantes chegavam ao Campo de São Cristóvão em caminhões, para trabalhar na construção civil. O fim da viagem e o reencontro com parentes e conterrâneos que já estavam no Rio eram comemorados com muita música e comida. Essa celebração informal deu origem à feira, que permaneceu no entorno do campo por 58 anos.

Nos anos 1960, foi construído, com projeto do arquiteto Sérgio Bernardes, o Pavilhão de São Cristóvão, que tinha o objetivo de abrigar exposições internacionais. Até o final dos anos 1980, o local recebeu importantes eventos, como o salão do automóvel e feiras industriais. Mas isso não afastou os comerciantes, e as barracas eram montadas e desmontadas todos os fins de semana.

Em 2003, o antigo pavilhão foi reformado pela prefeitura e a feira – já legalizada desde 1982 – começou a funcionar dentro do Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas. Os trabalhadores ganharam boxes de alvenaria e cobertura, no espaço de 34 mil metros quadrados. O local possui três palcos e cinco praças com nomes de artistas e cidades nordestinas. Uma estátua em tamanho natural de Luiz Gonzaga, “o Rei do Baião”, dá as boas-vindas a quem chega.

Em dezembro de 2008, a prefeitura declarou o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas patrimônio cultural dos habitantes da cidade do Rio de Janeiro, a fim de preservar o espaço e as características nordestinas ali representadas. Em 2010, uma lei federal tornou a Feira de São Cristóvão patrimônio cultural imaterial do Brasil.

Endereço: Campo de São Cristóvão, s/nº
Funcionamento: sábado, das 10h às 22h, e domingo das 10h às 20h
Valor da entrada: R$ 5

Você pode gostar também