Campo GrandeNoticias

Entidades se unem para consolidar a Uezo em Campo Grande.

MOBILIZAÇÃO A Associação Empresarial de Campo Grande (AECG-RJ) a Associação de Empresas do Distrito Industrial de Campo Grande (Adedi) e a 29ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (Campo Grande) se uniram através de um documento em prol da consolidação da Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo) no bairro da Zona Oeste.

O pleito das entidades foi encaminhado ao governador Wilson Witzel; ao secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, Leonardo Rodrigues; ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano; ao presidente da Comissão Permanente de Ciência e Tecnologia da Alerj, deputado Waldeck Carneiro; e ao presidente da Comissão de Educação da Alerj, deputado Flavio Serafini.

As três entidades lembram que a população da Zona Oeste, especialmente a estudantil, há 15 anos aguarda um posicionamento a respeito da consolidação da Uezo. Asseguram ainda que a atuação da instituição tornou-se parte fundamental para o fortalecimento do tecido socioeconômico de toda a Zona Oeste, em razão da relevância dos projetos ali desenvolvidos e da avançada tecnologia neles empregada.

O documento destaca que Campo Grande é o bairro mais populoso do Brasil, segundo dados do último Censo IBGE, somando 336.484 habitantes, e que possui uma geografia central em relação aos demais bairros da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro, concentrando uma das maiores arrecadações de ICMS do estado do Rio de Janeiro.

Ressalta ainda os avanços do relacionamento e da difusão do conhecimento propostos pelos inúmeros projetos de extensão e científicos da Uezo nestes 15 anos de existência numa realidade em que, nos próximos anos, o estado do Rio terá um papel estratégico com a reconstrução da sua economia. “Os avanços científicos serão imprescindíveis nas áreas de química, biologia e farmácia, além da expansão de outras áreas como enfermagem e medicina. Acreditamos que a Uezo pode ser uma instituição estratégica para a região, tendo como um possível hospital universitário, o Hospital Municipal Rocha Faria, localizado em Campo Grande”, acentuam.

Por fim, os presidentes Guilherme Eisenlohr (AECG-RJ), Renato Julião (Adedi) e Rodrigo Plaza (29ª Subseção da OAB) solicitam a emergencial consolidação da universidade. “Entendemos e estamos nos posicionando neste momento com o objetivo da continuidade das ações iniciadas. Precisamos continuar escrevendo novas páginas da história da Zona Oeste do Rio de Janeiro, e assim avançarmos em nosso objetivo. Para isso, a Uezo torna-se indispensável na socialização do seu conhecimento, no desenvolvimento local, nas novas oportunidades de trabalho e renda e na inovação da ciência e tecnologia para todo o estado do Rio de Janeiro”, concluem.

Botão Voltar ao topo
Fechar