Governo do RJ confirma a segunda morte por coronavírus

Homem de 69 anos era hipertenso e diabético, mesmos problemas de saúde apresentados pela primeira pessoa a morrer no RJ. Estado tem 65 casos da doença confirmados.

A Secretaria de Saúde do RJ confirmou nesta quinta-feira (19) a segunda morte por coronavírus no estado. O paciente é um homem de 69 anos, morador de Niterói, diabético e hipertenso, que morreu na terça (17). A contraprova do exame deu positivo e foi divulgada no início da tarde.

A  outra morte por coronavírus foi  confirmada pela manhã, quando saiu o resultado da contraprova de uma mulher de Miguel Pereira, de 63 anos. Ela também morreu na terça e tinha os mesmos problemas de saúde: diabetes e hipertensão.

O idoso que morreu em Niterói apresentou os primeiros sintomas, como febre, tosse e mialgia na quarta (11). Ele teve contato com caso confirmado que viajou para o exterior. O material para análise deu entrada no Lacen (Laboratório Central Noel Nutels) nessa quarta e foi confirmado no início da tarde.

“É por isso que reforço para que as pessoas não saiam de casa, que orem e que acompanhem todas as orientações do Ministério da Saúde e da nossa Secretaria de Saúde, para que sigamos juntos unidos contra esse mal que assola o mundo”, disse o governador Wilson Witzel.

O idoso estava internado no Hospital Icaraí, uma unidade particular, por choque séptico e pneumonia. Segundo o hospital, um enteado dele, que não foi atendido no local, veio de Nova York (EUA), com teste positivo. “O paciente, além da idade, possuía comorbidades que o colocaram no grupo de risco”, diz a unidade.

Ainda segundo o hospital, “o quadro do paciente evoluiu com insuficiência respiratória aguda, sendo imediatamente submetido à entubação orotraqueal e colocado em ventilação mecânica. Ele veio a óbito às 19h08 desta terça-feira”.

A primeira morte confirmada foi de uma moradora de Miguel Pereira, que apresentou os primeiros sintomas no domingo (15). A mulher foi a uma unidade de saúde do município na segunda (16), apresentou piora no quadro e morreu na terça (17), mesmo dia que o material chegou para a análise do laboratório do estado.

“Faço um apelo à população que acredite na gravidade da situação e siga as orientações das autoridades de evitar sair de casa e ir a unidades de saúde sem necessidade. Reforço que nós não vamos descansar na luta para que casos como esses ocorram em menor número possível”, diz o secretário de Saúde, Edmar Santos.

Até quinta-feira (19), o estado do Rio tinha registrado 65 casos da doença, distribuídos nas seguintes cidades: Rio de Janeiro (55), Niterói (7), Barra Mansa (1), Miguel Pereira (1) e Guapimirim (1). Ao todo, 1.254 casos suspeitos estão sendo investigados.

Em todo o país, os casos já passam de 500, segundo dados das secretarias estaduais de saúde. O último balanço do Ministério da Saúde, da tarde de quarta-feira, contabiliza 428.

Desde a última semana, o governo do RJ colocou em prática medidas duras para conter o avanço da epidemia. Na manhã da última terça (17), o governador Wilson Witzel decretou, com o objetivo de evitar a propagação do vírus, a situação de emergência pelo Covid-19, com recomendação para limitar o atendimento ao público em bares e restaurantes, redução de horário em shoppings centers, além da suspensão de aulas em escolas públicas e privadas, entre outras medidas.

Carregando...
Botão Voltar ao topo
Fechar